Brilho

Pedro havia decidido que agora só amaria quem tivesse o mesmo brilho que o dele.

Cansado de emprestar sua luz, pois sabia que quem empresta luz ou acaba na sombra ou faz sombra em quem quer iluminar.

Pensou, o amor tem que vir de duas pessoas que brilham com intensidade iguais. Não necessariamente no mesmo momento.

Mas o brilho de Pedro não podia fazer sombra nem se apagar ao lado da próxima mulher que amaria.

Por isso que escolheu ficar solteiro até achar esta luz.

Pelo tempo que for necessário.

Sábado, 5 de maio de 2012 às 03:09

As Três

Como todo personagem grego, fora forçado a encarar as três damas. Podiam ser graças, fúrias ou moiras. Podiam traçar o futuro ou iluminá-lo. Ou ainda estraçalhar o seu corpo em mil.

A cada momento ele teve a impressão de estar na presença de todas essas entidades que mudavam a toda hora.

Uma gritou: “Se seguires este caminho será sua destruição. “
Outra aconselhou: “Não seja sozinho. Não se afaste de quem te ama.”
A outra só ouviu.

Em outro momento, a que gritou, chorava a importância dele e o quanto seu fim iria afetar o mundo. A que aconselhou, pediu compaixão e menos raiva. E a que não falava, chorou e deu amor.

Prometeu, confuso, saiu da caverna com a cabeça cheia e confusa, tentando mais sentir do que pensar.

Naquele instante esqueceu o fígado carcomido e teve a certeza de ter um coração completo de amor.

Sábado, 5 de maio de 2012 às 03:02