Fuga

Não adianta,
Esconder não vai te salvar,
Lençol algum a protegerá
Da minha saudade.

Com cada gota do suor do seu corpo
Matarei minha sede
Como quem bebe a última gota do cantil.

E lhe darei de beber
Do derreter da vela
Que queimará dentro de você.

Até saciada a sede da sua/minha boca
Dormiremos
Até ter o que era passado
Virar presente
Dentro do seu corpo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s