Sexta-feira preta

Uma caixa cheia de

apelidos,

          beijos,
comidinhas,
          abraços,
jantares,
          carinhos,
viagens,
          sexo
e paixão.

Pelo mísero preço de um grande amor!



Arte por Anton Tang


Publicidade

Cemitério de ossos

Cansado de ser coveiro da minha própria vida. 

Exumo as ossadas do meu passado para cremá-las em uma pira indiana.

Vão-se as doenças
                (da alma e do corpo),
as dores
                (da matéria e do espírito),
os corações
                (paridos e partidos),
as verdades
                (absolutas e irresolutas).

Sub-versões

Acordar de um sono bom.

Perder-se em pensamentos fúteis e inúteis.
Esperar por ela na plataforma.
Resistir ao cansaço e à tristeza.
Fazer um tour pelo centro da cidade.
Esquecer o celular.
Criar histórias com as pessoas que esbarro.
Transar feito doido a qualquer hora do dia.

Dormir abraçado com ela.
Apaziguar o coração e a mente.
Y no perder la ternura jamás.