Cemitério de ossos

Cansado de ser coveiro da minha própria vida. 

Exumo as ossadas do meu passado para cremá-las em uma pira indiana.

Vão-se as doenças
                (da alma e do corpo),
as dores
                (da matéria e do espírito),
os corações
                (paridos e partidos),
as verdades
                (absolutas e irresolutas).

Sub-versões

Acordar de um sono bom.

Perder-se em pensamentos fúteis e inúteis durante o banho.
Esperar por ela na plataforma.
Resistir ao cansaço e à tristeza.
Fazer um tour pelo centro da cidade.
Esquecer o celular.
Criar histórias com as pessoas que esbarro.
Transar feito doido a qualquer hora do dia.

Dormir abraçado com ela.
Apaziguar o coração e a mente.
Y no perder la ternura jamás.

Desenredo

Divido com ela um sonho
Uma terra distante onde a felicidade nasce em árvores. 
Onde poderemos construir as nossas ideias
E de lá, espalharmos 
             sonhos, 
             desejos 
             alegria
Uma cocagna. 
Uma utopia. 
Um lugar qualquer. 
Ou lugar nenhum. 
      Mas tem que ser no sertão. 
                             mineiro ou baiano.