Belezura

Era de uma falsa modéstia mastodôntica. Tinha pra si que ninguém era mais tímido que ela. Fechava-se em seu mundo-casa e nele, sozinha, era a melhor. 
Mas um dia abriu as janelas que tantos insistiam em bater. A luz a cegou e doeu na sua alma. Mas aos poucos conseguiu ouvir o que muitos já mostraram. 
Era linda. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s