21 anos

Passaram-se 21 anos que ele dormiu para não acordar mais. 
Talvez algumas pessoas não saibam como é olhar-se no espelho e ver a imagem de alguém que você tanto amou refletida. O nariz torto, orelhas de abano, um sorriso meio tímido, sobrancelhas grossas, fios ruivos na barba. 
Em um domingo desses, ele deu o primeiro passo para descansar. Aos que ficaram não é permitido descansar sua memória. 
Ele deixou marcas na cidade, eu sempre digo. Mas essas poderão deixar de existir um dia. As que carrego no rosto, as que a genética me deu. Essas vão demorar e a cada manhã que passará hei de encontrá-lo refletido no espelho. 
Beijos, pai. Saudades.