Serviçal

“O senhor está pronto para ouvir a palavra do Senhor.”

Estranhou a interpelação e a interpolação. E por um segundo cogitou responder, mas seguiu em frente esbarrando no senhor que o abordara.
Mais que agressivamente o senhor com a Bíblia na mão agarrou seu braço e com voz de trovão disse incisivamente:
“O Senhor tem algo a dizer para o senhor.”
Sentindo-se agredido e incomodado por tantos senhores, revidou:
“Desculpe-me, mas não sou escravo para ter um senhor. E o senhor, faça o favor de soltar-me o braço.”
Talvez assustado com a reação ou incomodado com ela, soltou o braço. Foi então que reparou que os olhos daquele senhor ferviam em raiva. O senhor do Senhor gritou que o Senhor a quem ele servia não era desses senhores de escravos.
Olhou para o senhor com fé, com pena, ao perceber que o Senhor da fé o havia agrilhoado a um livro e jogado em uma prisão de inúmeros dogmas.
Mas a cara de pena só suscitou mais raiva naquele senhor que disse:
“O desdém do senhor, ainda vai levar o senhor pro inferno!!!”
Foi então que de pronto o homem que queria se ver livre de senhores perguntou:
“De qual senhor está falando que vai pro inferno?
“O Senhor?” – apontou para o céu -“O senhor?” – apontou para si próprio – “Ou o senhor?” e apontou para o religioso.
Depois de todos os impropérios que ouviu, o senhor transeunte teve certeza qual dos três senhores iria para companhia do adversário.

Notre Dame des Piétons

Eis que ele apertou o botão do semáforo de pedestres e o sinal abriu para ele. 
Daquele dia em diante sua vida se transformou e passou acreditar em milagres. 
Se você passar no cruzamento da brigadeiro com a alameda santos pode ser que o veja em seu ritual diário de acender velas para Nossa Senhora dos Pedestres.

Dissimulacros

Não crie o produto,
Crie a necessidade do produto.

Não crie o risco,
Crie o medo dele.
Não crie o medo,
Crie a necessidade de se proteger.
Não crie a doença,
Crie os sintomas.
Não crie os sintomas,
Crie a necessidade de cura.
Não crie o Estado,
Crie a ideia de um.
Não crie a felicidade,
Crie a obrigatoriedade de ser feliz.

Depois de criado os simulacros
Não se preocupe com a realidade,
Pois ela já não mais terá a possibilidade de existir.