Multiplicação

Às vezes sinto saudades de você. 

Às vezes você faz falta. 
Às vezes penso em você. 
Às vezes quero você ao meu lado. 
Às vezes lembro do seu beijo. 
Às vezes procuro sua mão. 
Às vezes sonho você. 
Às vezes ouço sua voz. 
Às vezes vejo seu sorriso. 
No resto do tempo amo você. 

A hora dos ratos

Na escuridão 

Quando o Sol já foi
Saem da toca. 
Nunca se expõem, 
Pois são covardes,
Pois são medrosos. 
Afunda o barco
Quando a água invade
Correm pelo cordame. 
Nunca se expõem 
são covardes,
são medrosos. 

Rosnam os cães 
Os gatos espreitam
Se perdem a fugir pelos buracos. 

Nunca se expõem.
Covardes!!!
Medrosos!!!
Dão-lhes a luz,
Oferecem o mundo. 
E correm para as certezas do esgoto.