Crise

Não vejo o fundo
Nem posso tocá-lo
Ao mesmo tempo deitado sobre ele
O fundo foge

Não sinto a escuridão
Mas ela me abraça
Apartado estou da vida e da paz
A escuridão não esclarece

Abraçado aos meus joelhos
Com pensamento acelerado
O que me move me mantém parado
Só com o suor e o tambor do coração

A luz se manifesta
Num sorriso doce e banguela
Num olhar cansado
Estou vivo por elas.