Câncro XII

Por mais que peças,
meu corpo.
me recuso.

Deixar te.
Abandonar se.
Matar me.

Se és podrecarne
Não és vivalma corajosa.
Arrega tuas coragens
No abraço fétido da morte.
Seja esse fraco labor
De mente insana.

Não me entrego a ti
Nem te vejo em mim.
Não serás minha escapavida
Nem serei teu ganha-pão.

Despeça
O que não é teu por direito exigir.
Devolve
O butim que não podes levar.

Pois ainda é minha
Avidaaviver.