Pai

Tristeza
Meu coração quase parado
Está chorando de saudades
A rápida lembrança não permitiu me aprofundar
Não me permiti afundar.

Estou com você na minha lembrança
Tentando compor
Tentando compô-lo
Ainda me assombra
Ainda me atrapalha

Ainda te amo meu pai…

————————————————-

Não existe solidão,
Não existe abandono.
Existe estigmas.

Manchas a serem limpadas
Não é a distância
Nem o isolamento
Que mudará isso.

Mas aqui,
Sozinho,
Neste momento,
Choro.
Na ridícula esperança de te lavar definitivamente da mente.

————————————————-

A lembrança daquele homem ainda me acompanharia por muito tempo. Ele pedindo ajuda calado olhando as pedras que o mar a cada onda engolia, mas eu longe ignorava o significado daquele anseio. Se atirou pobre homem nas facas dos ouriços encravados nas pedras. Perda.

————————————————-

Quanto dor ainda não senti
Da morte do meu pai
A perda real de todo meus castelos.

“…Volta, dai lenitivo a minha dor…”

————————————————-

O homem velho me observa
Assombra a sombra,
E o sapo coaxa logo ali…

————————————————-

Sob a agitação do mar,
A vontade da saudade…
E essa sede que não me passa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s