Réquiem

Que eu,

Quando chegada a hora,
Não me arrependa do que fiz,
Nem tampouco do que deixei de fazer. 
Não olhe nem para trás com saudade,
Nem para frente com tristeza. 
Prestigie os que estiveram do meu lado 
E tente perdoar os que me abandonaram. 
(Mas se não conseguir, que se fodam todos)

Sinta uma última dor
E uma última lágrima quente sabor de mar. 
E um beijo delicado da minha filha que acenderá a uma última luz, dando força para dizer:

Sempre te amarei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s