As Três

Como todo personagem grego, fora forçado a encarar as três damas. Podiam ser graças, fúrias ou moiras. Podiam traçar o futuro ou iluminá-lo. Ou ainda estraçalhar o seu corpo em mil.

A cada momento ele teve a impressão de estar na presença de todas essas entidades que mudavam a toda hora.

Uma gritou: “Se seguires este caminho será sua destruição. “
Outra aconselhou: “Não seja sozinho. Não se afaste de quem te ama.”
A outra só ouviu.

Em outro momento, a que gritou, chorava a importância dele e o quanto seu fim iria afetar o mundo. A que aconselhou, pediu compaixão e menos raiva. E a que não falava, chorou e deu amor.

Prometeu, confuso, saiu da caverna com a cabeça cheia e confusa, tentando mais sentir do que pensar.

Naquele instante esqueceu o fígado carcomido e teve a certeza de ter um coração completo de amor.

Sábado, 5 de maio de 2012 às 03:02

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s